Jump to: site navigation, content


Language selection


Convento São Francisco de Mértola

Museu da Água

Apesar de uma pequena população de 1500 habitantes, Mértola é conhecida como uma Vila Museu de Portugal. Tem dois monumentos nacionais e cinco museus – Romano, Islâmico, Paleo - Cristão, Arte Sacra e Blacksmith’s Forge. Em 2004 foi aberto no Convento o Museu da Água com a particularidade de providenciar irrigação, usando um sistema desenvolvido pelos mouros.

Entre os séculos X e XIII a população descendente dos mouros habitou Mértola pelo que os jardins eram considerados locais sagrados para comunicar com os deuses.

Mais tarde os frades franciscanos cultivaram de forma diligente os jardins do Convento e algumas construções desse período foram restauradas e postas de novo em prática, incluindo o poço

Originalmente, um burro andava à volta de um círculo de pedra que rodeava o poço, puxando uma grande quantidade de baldes trazendo assim água à superfície. Agora, em vez de um burro vivo, o artista cinético Christiaan Zwanikken, criou um burro mecânico. O trabalho do seu invento robótico permite tirar água do poço, depositando-a em canais situados nas zonas mais altas de cultivo. Através do uso de açudes e de pequenas represas a água é levada à terra.

O sistema ilustra o método antigo que era empregue e a verdadeira dependência que as pessoas tinham da água para sobreviverem. Consulte vídeo Burro Mecânico.

O Museu da Água foi feito com a ajuda de fundos da Leader+.

Leader+ é uma das quatro iniciativas financiadas pela UE e destina-se a ajudar trabalhadores das áreas rurais cujo objectivo seja potenciar uma determinada zona a longo termo.

Encorajando a implementação de estratégias de desenvolvimento sustentável, que sejam integradas, de qualidade elevada e que revelem novas experiências denotando especiais atenção e interesse em parcerias e redes de troca.


Site navigation